Quinta-feira, 27 de Setembro de 2007

28 dias depois...

 

 

img215/1338/nve00030yd3.png

 

img390/3968/nve00024wr1.png

img477/3951/md010xl9.jpg

 

img390/9256/md021ba6.jpg

img215/512/md008ls8.jpg

img477/700/m4fp6.jpgimg477/7062/dscn0612wm0.jpg
img215/3170/dscn0626px4.jpg


Desabafos de alemvirtual às 09:03
link do post | Deixe o seu comentário | favorito
Terça-feira, 25 de Setembro de 2007

Palavras à minha filha

Para ti, filhota

http://monifoto.blogger.com.br/

 

Ontem falei com a tua sogra. Já era tarde da noite, mas ela está sempre tão ocupada que não o quis fazer mais cedo. Está abatida e triste. Adorava-te e continua a sentir um carinho imenso por ti e uma grande admiração. Leva o teu nome e a tua vida a todos (e são muitos, como sabes) que conhece e por onde passa. Não te vai deixar cair no esquecimento.

Falou-me de um desejo seu, que é uma justa homenagem à pessoa e ao exemplo de coragem  que foste. Talvez, consigamos. Ela, creio, vai conseguir. Moverá céus e terras para criar uma Fundação com o teu nome. É este o seu sonho. Uma Fundação que apoie a luta contra o cancro, vocacionada especialmente, para os cuidados paliativos. Aliviar a dor dos que sofrem, contribuir para a sua qualidade de vida e assegurar que cada doente recebe o tratamento adequado à sua situação...

Sabemos que tu os recebeste na última etapa da tua vida que foi também a etapa mais dolorosa. Nunca será demais agradecer e divulgar publicamente a competência e humanidade que encontraste no Hospital Nª Srª do Rosário, no Barreiro.

 

A tua " Mãe Menor" - como tu lhe chamavas - não que seja menor, antes pelo contrário, mas na sua discrição e humildade, auto-intitulou-se "Menor", já que a "Maior" seria eu, dedicará o editorial, do próximo número do seu jornal, às questões dos tratamentos hospitalares. Serão os adequados, independentemente, dos custos que acarretam ou estarão condicionados às questões financeiras? Serão estas últimas a prevalecer, ou prevalecerão as reais necessidades terapêuticas, de acordo com cada doente? Que critérios? Que realidade?Questões em aberto. Responda quem pode e quem sabe. Questões que nos suscitam dúvidas. Ah! Quem me dera as não ter.

Mas que pensar da nossa política de saúde quando ao pagar uma factura de aluguer da cama articulada e cadeira de rodas (coisas que estavam em tua casa e que nunca chegaste a usar, minha querida), se verifica que o Estado cobra 21% de IVA. Sim, ouviste bem, 21% de IVA. Até parece que se trata de algum produto supérfluo. Tu que estavas totalmente imobilizada que nem uma colher quase podias agarrar. Não te levantavas, não andavas, não te sentavas, não tinhas sensibilidade a partir do peito para baixo e "pagaste" 21% de IVA por uma obsoleta cama articulada manual!! Como viverão as pessoas que não se podem dar ao "luxo" de pagar estas coisas??

 

Hoje, falei em ti na escola. Sabes, as minhas "crianças" - que de crianças têm muito pouco- conseguiram arrancar-me um sorriso. E eu confesso que até foi um sorriso genuíno. Perdoa-me. Às vezes, apetece-me pedir-te perdão por encontrar momentos de prazer nesta vida que tu deixaste. Deixaste um imenso vazio, mas sabes, precisamos viver para os outros. Tu mesma me dirias isso, agora, se pudesses, tal como me disseste tanta vez.

Viver, viver, viver...era tudo quanto desejavas...

Viverás eternamente nos nossos corações. Para os outros, aqueles que não tiveram o privilégio de te conhecer, nós tentaremos que o teu nome e o teu exemplo de vida seja divulgado. Pode ser que ajudemos alguém...

Beijinhos bebé


Desabafos de alemvirtual às 14:23
link do post | Deixe o seu comentário | favorito
Quinta-feira, 20 de Setembro de 2007

20 de Setembro

Hoje, o meu filhote faz 18 anos.

Recordaremos, sempre com muita saudade a sua irmã (a "manucha", como ele lhe chamava) mas especialmente nestas datas de maior significado.

 

Os dias, por si só, nada têm de memorável. Apenas mais um dia que se soma a outros dias. Sãos os acontecimemntos de cada um desses dias, acontecimentos particulares ou colectivos que tornam esses dias especiais e memoráveis. A uns associam-se factos agradáveis e felizes. Outros recordam tragédias e tristezas, por isso nenhum dia é igual, nem se vive de modo igual. Os mesmos acontecimentos são também vividos e, mais tarde recordados, de forma particular, por cada um dos que, para quem esses dias se tornaram especiais.

 

Hoje, vivo um dia especial. Imagino a alegria e as palavras bem humoradas que a "manucha" diria ao irmão...Sinto a falta dela. Sentimos todos imensa saudade.

 

Hoje, poderia ser um dia feliz...

 

Para ti, meu filho (meu chapa - como eu te chamo, por causa da banda desenhada brasileira que usa muito esta expressão) um beijo de PARABÉNS.

Para ti, filhota, um soneto do "nosso poeta", da nossa Vila-Poema  (terra onde encontraste o descanso eterno), tu que tanto amavas as artes e as letras...

Com amor,

Mãe

Alma minha gentil, que te partiste
tão cedo desta vida, descontente,
repousa lá no Céu eternamente
e viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento etéreo, onde subiste,
memória desta vida se consente,
não te esqueças daquele amor ardente
que já nos olhos meus tão puro viste.

E se vires que pode merecer-te
alguma cousa a dor que me ficou
da mágoa, sem remédio, de perder-te,

Roga a Deus, que teus anos encurtou,
que tão cedo de cá me leve a ver-te
quão cedo de meus olhos te levou.

(Luís de Camões)

 


Desabafos de alemvirtual às 07:45
link do post | Deixe o seu comentário | favorito
Sexta-feira, 14 de Setembro de 2007

JORNAL "PÚBLICO"

 

LEIAM.

Fiquem atentos aos noticiários.

 

Não fiquem indiferentes.

 

Quem primeiro viu a notícia foi o pai da minha filha, através da internet, pois no navio não há jornais.

Foi a única coisa que me fez sorrir. Que Deus me perdoe a "maldade".

Nada a trará de volta, mas...

 

"Entidade Reguladora vai investigar qual o hospital que terá recusado medicamento a doente com cancro
14.09.2007 - 13h11 Lusa


A Entidade Reguladora da Saúde pretende saber qual o hospital que terá recusado a prescrição de um medicamento inovador a um doente com cancro para abrir um processo de averiguação, disse hoje fonte oficial daquele organismo, depois do PÚBLICO ter hoje avançado com esta notícia.

A Ordem dos Médicos (OM) recebeu uma queixa de um clínico a quem a comissão de farmácia e terapêutica do seu hospital recusou a prescrição de um medicamento inovador a um doente com cancro. É a primeira denúncia formal deste tipo a dar entrada na OM, adiantou ao PÚBLICO o presidente do colégio de oncologia da Ordem, Jorge Espírito Santo, que acredita, porém, que outras denúncias deverão surgir entretanto porque a restrição à aquisição de alguns fármacos inovadores "começa a generalizar-se".

Sem querer adiantar qual é o hospital em causa, Jorge Espírito Santo explicou que o médico pretendia prescrever um antineoplásico a um doente com cancro, um fármaco já autorizado e usado em várias unidades de saúde, mas a comissão de farmácia rejeitou o pedido, apesar de o ter permitido para outro paciente nas mesmas circunstâncias. Um tratamento com este medicamento fica por 2500 a 3000 euros por mês.

Depois de ter conhecimento desta notícia, fonte do gabinete de imprensa da ERS afirmou à Lusa: "Não sabemos de que prestador se trata e não entrou [na Entidade Reguladora de Saúde (ERS)] nenhuma reclamação. A confirmar-se a situação, e depois de sabermos quem é o prestador, abrimos um processo de averiguação e ser virmos que se justifica abrimos depois um processo de inquérito"."

Copiado da internet


Desabafos de alemvirtual às 16:04
link do post | Deixe o seu comentário | favorito
Quinta-feira, 13 de Setembro de 2007

Caminhos

Era o entardecer. A luz do sol do último dia de Agosto declinava no horizonte e, assim, declinava também uma vida.

No canto interno dos seus olhos, - olhos escuros, enormes, mansos, que tinham maravilhado o mundo com a sua rara beleza - juntavam-se secreções, como lágrimas translúcidas. Estavam quase fechados e a cortina das suas espessas pestanas tremia. Foram-se cerrando para nunca mais se abrirem. Fecharam-se à luz do sol e ao olhar amoroso dos que a amavam e, segurando-lhe as mãos, segredavam palavras ternas de consolo. Extinguia-se o seu sofrimento. Fechava-se-lhe o olhar terreno. Abria-se-lhe a visão celeste.

 Foi assim que partiste. Não tão assim, não tão simplesmente, não tão sem dor…mas partiste… e o teu corpo inerte, ficou naquela cama.

 Cá fora, no corredor, esperava-se.

Lá dentro, a vida e a morte encontraram-se.

Amámos-te. Amamos-te. 

Queremos falar de ti. Queremos dar-te a conhecer. Queremos que milhões de corações vibrem com o imenso amor que espalhaste nesta vida.

 


Desabafos de alemvirtual às 22:05
link do post | Deixe o seu comentário | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 10 de Setembro de 2007

"Quando parece que nada mais resta..."

 

photo,material,free,landscape,picture,stock photo,Creative Commons,A crimson sunset, Crimson, Red, The setting sun, The sun

 

http://www.yunphoto.net/pt/)

 

Há algum tempo atrás- parece ter decorrido uma eternidade, mas passaram apenas umas semanas- quando a minha filha trocou o Instituto Português de Oncologia pelo Hospital de Nª Srª do Rosário no Barreiro, trouxe-me um papel escrito que tinha retirado de uma caixinha, onde se podia ler "Pode levar". Estava na Unidade de Quimioterapia. Entregou-me esse papel, dizendo-me apenas: "Acho que vais gostar de ler".

Desde logo, pensei transcrever as palavras que ele continha, mas o tempo (Ah! esse maldito tempo que não se agarra, não retrocede e não pára) não permitiu fazê-lo antes.

 

Tudo tem um propósito. Hoje, ao transcrevê-las e, ao relê-las antes de o fazer, verifico como tudo o que dizem é a cópia fiel da degradação física dos últimos tempos da minha filha. A única diferença é a longevidade daquele que as escreveu, contrastando com a sua "meninice." A grandeza do seu autor, só é possível comparar à suprema grandiosidade da minha filha.

 

 

 

"Quando parece que nada mais resta

Admira-me ver tantas pessoas espantadas com a calma e que dou provas, neste estado miserável a que me reduziu a doença.

Perdi o uso das pernas, dos braços, das mãos e estou quase cego e mudo. Não poderei mais andar nem apertar a mão de um amigo, nem tão pouco posso escrever o meu nome. Não posso ler e quase não consigo conversar e ditar...

Mas é preciso ter em conta o que me resta.

É bem certo que as coisas e as pessoas me aparecem como formas vagas e imprecisas, mas eu posso gozar ainda a felicidade que me traz a luz do sol. (*)

Eu posso ainda adivinhar, quando as aproximo muito perto do meu olho direito(**), as manchas de cor das flores ou os traços de um rosto...

E tudo isso não é nada em comparação com os dons divinos que Deus permitiu que eu gozasse.

Através das lutas de todos os dias eu pude salvarguardar em mim a fé, a inteligência, a memória, a imaginação, a paixão da meditação e do raciocínio, e esta luz interior que se chama intuição ou inspiração...

A juventude reconhece-se em três sinais essenciais: o desejo de amar, a curiosidade intelectual e o espírito de luta. Apesar da minha idade e dos meus sofrimentos, sinto em mim uma necessidade irreprimível de amar e ser amado, experimento um desejo insaciável de novidades em todos os domínios do saber e da arte, e não fujo à polémica e ao ataque, quando se trata da defesa de valores supremos.

Tenho a ousadia de afirmar que, mesmo hoje, sinto-me conduzido, neste mar imenso da vida, pela grande maré da juventude..."

 

Giovani Papini

Capelania do HNSR, SA

 

 

(*) A única luz do sol que ela sentia era a filtrada pelos vidros, no piso 0, no pequeno corredor para a ala da radioterapia. E que felicidade quando lá passava na sua cama de rodinhas!! Eram cerca de 4 metros saboreados com um deleite que comovia...Nunca mais sentiu o vento, nem os raios de sol...

(**) O dela, o único com alguma visão era precisamente o direito


 

Quanta coincidência, filha...
 


Desabafos de alemvirtual às 09:25
link do post | Deixe o seu comentário | ver comentários (1) | favorito

Pedaços de mim


Sou...

Outras almas amigas

. 10 seguidores

pesquisar

 

Março 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Desabafos...

Um palmo e meio de sonhos...

A minh´alma não é mais qu...

Zita

Silêncio da noite

Uma gaiola como tantas ou...

As minhas preocupações pa...

Missa em memória da Marga...

Memórias - Margot

Mais perto do céu

Mensagem para uma noiva

Outras páginas de vida...

Março 2020

Janeiro 2014

Março 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Visitantes

online

Minhas Visitas

Outros olhares-Outro mundo

SAPO Blogs

subscrever feeds